2 Crônicas‎ > ‎

2 Crônicas 33

Manassés é rei de Judá

1 Manassés tinha doze anos de idade quando começou a reinar e reinou cinquenta e cinco anos em Jerusalém.
2 Ele fez o que o Senhor reprova, imitando as práticas detestáveis das nações que o Senhor havia expulsado de dian­te dos israelitas.
3 Reconstruiu os altares idólatras que seu pai Ezequias havia demolido, ergueu altares para os baalins e fez postes sagrados. Inclinou-se diante de todos os exércitos celestes e lhes prestou culto.
4 Construiu altares no templo do Senhor, do qual o Senhor tinha dito: "Meu nome permanecerá para sempre em Jerusalém".
5 Nos dois pátios do templo do Senhor ele construiu altares para todos os exér­citos celestes.
6 Chegou a queimar seus filhos em sacrifício no vale de Ben-Hinom; praticou feitiçaria, adivinhação e magia, e recorreu a médiuns e aos que consultavam os espíritos. Fez o que o Senhor reprova, provocando-o à ira.
7 Ele tomou a imagem esculpida que havia feito e a colocou no templo, do qual Deus tinha dito a Davi e a seu filho Salomão: "Neste tem­plo e em Jerusalém, que escolhi entre todas as tribos de Israel, porei meu nome para sempre.
8 Não farei os pés dos israelitas deixarem novamente a terra que dei aos seus antepassados se tão somente tiverem o cuidado de fazer tudo o que lhes ordenei em todas as leis, decretos e ordenanças dados por meio de Moisés".
9 Manassés, porém, desencaminhou Judá e o povo de Jerusalém, ao ponto de fazerem pior do que as nações que o Senhor havia destruído diante dos israelitas.
10 O Senhor falou a Manassés e a seu povo, mas não lhe deram atenção.
11 Por isso o Senhor enviou contra eles os comandantes do exér­cito do rei da Assíria, os quais prenderam Manassés, colocaram-lhe um gancho no nariz e algemas de bronze e o levaram para a Babilônia.
12 Em sua angústia, ele buscou o favor do Senhor, o seu Deus, e humilhou-se muito dian­te do Deus dos seus antepassados.
13 Quan­do ­ele orou, o Senhor o ouviu e atendeu o seu pedido e o trouxe de volta a Jerusalém e a seu reino. E assim Manassés reconheceu que o Senhor é Deus.
14 Depois disso ele reconstruiu e au­mentou a altura do muro externo da Cidade de Davi, a oeste da fonte de Giom, no vale, até a entrada da porta do Peixe, em torno da colina de Ofel. Também pôs coman­dantes militares em todas as cidades fortificadas de Judá.
15 Manassés tirou do templo do Senhor os deuses estrangeiros e a imagem que havia colocado lá, bem como todos os altares idólatras que havia construído na colina do templo e em Jerusalém e jogou-os fora da cidade.
16 Depois restaurou o altar do Senhor e sobre ele ofereceu sacrifícios de comunhão e ofertas de gra­tidão, ordenando a Judá que servisse o Senhor, o Deus de Israel.
17 O povo, contudo, con­tinuou a sacrificar nos altares idólatras, mas somente ao Senhor, o seu Deus.
18 Os demais acontecimentos do reinado de Manassés, inclusive sua oração a seu Deus e as palavras que os videntes lhe falaram em nome do Senhor, o Deus de Israel, estão escritos nos registros históricos dos reis de Israel.
19 Sua oração e a resposta de Deus, bem como todos os seus pecados e a sua infidelidade, além dos locais onde construiu altares idólatras e ergueu postes sagrados e ídolos, antes de humilhar-se, tudo está escrito nos registros históricos dos videntes.
20 Ma­nassés descansou com os seus antepassados e foi sepultado em sua propriedade. E seu filho Amom foi o seu sucessor.
21 Amom tinha vinte e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou dois anos em Jerusalém.
22 Ele fez o que o Senhor reprova; à seme­lhança de seu pai, Amom prestou culto e ofereceu sacrifícios a todos os ídolos que Manassés havia feito.
23 Mas, ao contrário de seu pai Manassés, não se humilhou diante do Senhor, antes, aumentou a sua culpa.

Amom é rei de Judá

24 Os oficiais de Amom conspiraram contra ele e o assassinaram em seu palácio.
25 Mas o povo matou todos os que haviam cons­pirado contra o rei Amom, e proclamou seu filho Josias rei em seu lugar.