Provérbios‎ > ‎

Provérbios 06

Aviso contra a loucura

1 Meu filho, se você serviu de fiador
do seu próximo,
se, com um aperto de mãos,
empenhou-se por um estranho
2 e caiu na armadilha
das palavras que você mesmo disse,
está prisioneiro do que falou.
3 Então, meu filho,
uma vez que você caiu
nas mãos do seu próximo,
vá e humilhe-se;
insista, incomode o seu próximo!
4 Não se entregue ao sono,
não procure descansar.
5 Livre-se como a gazela se livra do caçador,
como a ave do laço que a pode prender.
6 Observe a formiga, preguiçoso,
reflita nos caminhos dela e seja sábio!
7 Ela não tem nem chefe,
nem supervisor, nem governante,
8 e ainda assim armazena
as suas provisões no verão
e na época da colheita
ajunta o seu alimento.
9 Até quando você vai ficar deitado,
preguiçoso?
Quando se levantará de seu sono?
10 Tirando uma soneca,
cochilando um pouco,
cruzando um pouco os braços
para descansar,
11 a sua pobreza o surpreenderá
como um assaltante,
e a sua necessidade sobrevirá
como um homem armado sobre você.
12 O perverso não tem caráter.
Anda de um lado para o outro
dizendo coisas maldosas;
13 pisca o olho, arrasta os pés
e faz sinais com os dedos;
14 tem no coração
o propósito de enganar;
planeja sempre o mal e semeia discórdia.
15 Por isso a desgraça
se abaterá repentinamente sobre ele;
de um golpe será destruído
irremediavelmente.
16 Há seis coisas que o Senhor odeia,
sete coisas que ele detesta:
17 olhos altivos, língua mentirosa,
mãos que derramam sangue inocente,
18 coração que traça planos perversos,
pés que se apressam para fazer o mal,
19 a testemunha falsa que espalha mentiras
e aquele que provoca discórdia
entre irmãos.

Aviso contra o adultério

20 Meu filho,
obedeça aos mandamentos de seu pai
e não abandone o ensino de sua mãe.
21 Amarre-os sempre junto ao coração;
ate-os ao redor do pescoço.
22 Quando você andar, eles o guiarão;
quando dormir,
o estarão protegendo;
quando acordar, falarão com você.
23 Pois o mandamento é lâmpada,
a instrução é luz,
e as advertências da disciplina
são o caminho que conduz à vida;
24 eles o protegerão da mulher imoral,
e dos falsos elogios da mulher leviana.
25 Não cobice em seu coração a sua beleza
nem se deixe seduzir por seus olhares,
26 pois o preço de uma prostituta
é um pedaço de pão,
mas a adúltera sai à caça
de vidas preciosas.
27 Pode alguém colocar fogo no peito
sem queimar a roupa?
28 Pode alguém andar sobre brasas
sem queimar os pés?
29 Assim acontece com quem se deita
com mulher alheia;
ninguém que a toque ficará sem castigo.
30 O ladrão não é desprezado
se, faminto, rouba para matar a fome.
31 Contudo, se for pego,
deverá pagar sete vezes o que roubou,
embora isso lhe custe
tudo o que tem em casa.
32 Mas o homem que comete adultério
não tem juízo;
todo aquele que assim procede
a si mesmo se destrói.
33 Sofrerá ferimentos e vergonha,
e a sua humilhação jamais se apagará,
34 pois o ciúme desperta a fúria do marido,
que não terá misericórdia
quando se vingar.
35 Não aceitará nenhuma compensação;
os melhores presentes não o acalmarão.